Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser!
Ir direto para menu de acessibilidade.

IDIOMAS

ptenfrites

Opções de acessibilidade

Página inicial > Seminário > Seminário do Prof. Dr. Ronaldo Thibes da UESB
Início do conteúdo da página

Seminário do Prof. Dr. Ronaldo Thibes da UESB

Criado: Quinta, 06 Fevereiro 2020 14:00

Aspectos do Modelo de Bopp-Podolsky - Campo de Gauge Massivo com Invariância de Calibre

Ministrante: Prof. Dr. Ronaldo Thibes (Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia)

Data: 19.02.2020 (quarta-feira)
Horário: 16:00
Local: Auditório do Laboratório de Física-Pesquisa - UFPA.

Resumo: Através da introdução de derivadas de ordem superior, o modelo de Bopp-Podolsky (BP) descreve uma eletrodinâmica generalizada na qual o campo de gauge adquire massa sem perder a simetria de invariância de calibre. Com a finalidade original de contornar as divergências da eletrodinâmica usual, alternativamente, o modelo BP também pode ser interpretado como um método de regularização no qual o termo de derivadas de ordem superior gera a massa de Pauli-Villars. No caso eletrostático, é possível reproduzir os resultados do modelo BP através de uma distribuição de cargas conveniente na eletrodinâmica usual. Naturalmente a quantização do modelo, que pode ser feita via método canônico ou funcional, demanda a devida fixação do gauge. Mostramos explicitamente que escolhas específicas do termo de fixação de gauge levam a expressões mais simples e naturais para o propagador do campo de Bopp-Podolsky do que as até então conhecidas na literatura. Em particular obtemos também o propagador do campo BP no gauge de frente de luz e mostramos como todos os resultados anteriores podem ser expressos em coordenadas de frente de luz. Discutimos o acoplamento do campo BP com um campo escalar carregado e obtemos o correspondente tensor energia-momento. Com o intuito de evitar o inconveniente das derivadas de ordem superior, propomos um modelo de ordem reduzida equivalente ao de BP, contendo um campo vetorial extra. Nesse último caso o modo massivo do modelo original é transferido ao campo extra ficando o campo de gauge com massa nula.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página